Olá, mundo!

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Anúncios
Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

Quando chega o amor.

 

Em tardes maravilhosas como essa me lembro com alegria dessa brisa leve de um entardecer irradiando amarelos e vermelhos, fecho os olhos, e relembro nosso encontro , ainda lembro que minhas pernas tremeram no primeiro abraço, você me disse que era uma sensação de vertigem que começava no estômago, sua face enrubesceu, e seu coração acelerou involuntariamente batendo no ritmo do meu,  uma sensação tomou conta dos nossos corpos como um arrepio nos ligando, o coração querendo sair pela boca. (“O encontro da batida perfeita”.) Adentrando uma emoção pelas nossas epidermes e chegando ao coração, o calor das palavras ascendendo seu olhar, esse mesmo olhar, que demonstra sua imensa capacidade de amar, se entregando  a nosso momento, deixando-se banhar no mar de carinhos e aconchegos, um momento único e especialmente seu, e nessa hora nada importa… Somente a  segurança dos nossos braços, porque estamos além do bem e do mal, acima do tempo, sem passado, o infinito do amor é tocado. Era um fim de tarde  e o inicio de nossa história. Estávamos nos desvelando e revisitando nossa emoção de tantas noites e sonhos, porque o coração tem vida própria,  sentindo quem pode te fazer feliz, é apenas energia, ele sabe, chamam de intuição feminina, eu chamo de decisão do coração,  desperta-nos a capacidade de sentir, acordando a certeza, lembra que apenas as mãos se tocaram e foi como um choque elétrico, mais suave e duradouro, havia um silêncio interno e profundo e também ao fundo uma velha canção de amor, nossos sentidos preenchiam o ambiente, nada era necessário, pois todos segredos faziam sentidos, não havia pecado nem julgamentos, a beleza foi se deixar tocar e se entregar.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Uma palavra- Á Nanda Varela

 

Eu quero uma unica palavra,
que como agua morna a envolvesse,
fosse ela um refluir de emoções ternas,
como o primeiro banho.
Uma palavra suave,
como a lagrima de alegria ao ver te .
orvalho da minha emoção…
Uma unica palavra
Que como a cachoeira
preenchesse de carinho
todos os espaços vazios
Se derramando forte e consistente,
como um silêncio profundo
Uma palavra simples,
límpida, ao mesmo tempo incisiva
como um maremoto,
um diluvio de letras e canções
que inundasse
o mundo de vida e paixão
Uma palavra definitiva,
que matasse por um momento,
essa nossa sede inconsolável de amar….

 

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Serie de-leites, com mel

 

A flora da boca,

palavras plantadas,

aflora caminhos,

afora odios,

 de amores mal acabados,

sangue na boca,

não…

eram amoras…

de amores ruminados

com a calma das estrelas

 

——————————————————–

a morte do amor

estrela cadente tambem brilha?

estrelas mortas tambem brilham?

 a morte brilha então..

—————————————-

Minueto, (”ou pelados em santos”)

Solweto sem apartheid,

Dueto palestina sem muros,

 e Israel sem homens-bomba,

claridade sem sombras,

e nos sem nós

 

—————————————–

presente é o presente

press-sente-sempre

acordando acordes dissonantes,

a cor dar de novos sóis,

queimar de dentro pra fora,

reformar a dor,

com amor

entregando o que não lhe pertence mais,

ligar-se ou desligar-se,

voando voos solitários,

destrinchando as trincheiras dos limites,

desfazendo as velhas crenças,

arder com esses novos sóis,

para finalmente brilhar…

______________________________________

 

Publicado em poesia_inédita_social | Deixe um comentário

Brisa no deserto

Menina encheu meu olhos
ascendeu meu caminho
num momento muito difícil
encontrei-me menino!
com sua chama
Brincando num sábado de domingo

Vou dançando em seus sonhos
no emaranhado dos seus cabelos
em seu colo pêssegos e morangos
novelo loiro de anjo ou demónio
não me importa vou me perdere achar!,

volver a los 17

abre suas portas
te quero no aconchego desse desvelo
de novo em pelo e abismos
Menina linda, a pele mais macia
que a minha tocou,

acalma minh‘alma
no arrepio de seu seio
tocando a mansidão
na margem de seus segredos,

me contagiei no teu encanto manso
quieto e calmo , magico
com você eu dançaria sem camisinha
menina pura, doce pêra, me escuta
se ama, sendo sempre sua!
fogo e mar, céu e ar, mel e chão
e de novo iria, e vou voar

deixar te ir como o vento
desse fim de semana
dizer simplesmente adeus
tatuando  essa lembrança
em meu coração

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

REFLE-XOS

10/12/2007

Reflexos

cortesia imagens google

postagem dedicada a Marcia Daré
REFLESEXOS

A lua na poça profunda
aprofunda minhas poças
nua pisavas eu e a lua

eu provava a minha nudez,
a sua e a da lua
me aprofundava na sua
toquei a lua por brevidade
minha e sua
sou dono da lua e dela nua
ilusões de estrela cadente
que aprofunda em mim
o desejo da moça, de poças, luas e
espelhos
na poça de lágrimas pra lua
restou a lua na poça
não pises na poça tampouco nessa lua
jazZiam estrelas

Wellington Felix

___________
_______________

DESEJO PARA OS PANOS DOS CÉUS

Se tivesse eu os panos bordados dos céus,
Entremeados com luz dourada e de prata,
O azul e os panos não ofuscantes e escuros
Da noite e da luz e da metade-luz,
Eu espalharia os panos debaixo dos teus pés:
Mas eu, sendo pobre, tenho somente os meus sonhos;
Eu espalhei os meus sonhos debaixo dos teus pés;
Pisa com cuidado porque pisas os meus sonhos.

William Butler Yeats

_______________
_________

"Não pises neste lugar
até ontem
esteve cheio de vagalumes”

Basho, em Sendas de Ocu

_______________

___________

"pisavas os astros, desastrada”
– Caetano Veloso –

________________

_________

"A porta do barraco era sem trinco

Mas a lua furando nosso zinco

Salpicava de estrelas nosso chão

E tu pisavas nos astros distraída

Sem saber que a ventura desta vida

É a cabrocha, o luar e o violão"

Música: Sílvio Caldas.

Letra: Orestes Barbosa
________________
__________

– Espelho –


"debruçada sobre a água parada

a cidade vê a lua se ver

cintilar molhada"
sugestão de musica: George Harrison – got my mind set on yo

autoria: Jeanine Will em:-

registro:(inédito, 26012006 & 15012007)

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Sequestral

)

Eu e você
e nossa cama
e meus abismos que me lanço
todo desejo e vontades,
é nesses dias onde morro
feliz

Eu e você
e nossa cama
e seus abismos em que me lanço
entre pernas fluem rios
entre nuvens essas montanhas redondas
a mais linda bunda

E essa lagoa a mais profunda
onde mergulho e me afogo
onde nasci e me fiz homem
onde sinto-me vivo,
e aprendiz

Eu e você
e nossa cama
nossos abismos que me lanço
carnes e formas me agarram
voo suspirado entre seios…

Nesses momentos
sua boca se faz minha…
minha boca se fundiu
e o mundo inteiro é nossa cama
e o universo o nosso orgasmo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário